Banco de Sementes A.L. Belo Correia

O Banco de Sementes A.L. Belo Correia é uma infraestrutura de conservação e investigação cujo objectivo principal é a conservação de sementes da flora Portuguesa a longo prazo. A conservação das espécies ameaçadas é uma prioridade e permite implementar em Portugal a Estratégia Global para a Conservação das Plantas. A coleção constitui assim um seguro contra a extinção das plantas no seu habitat natural, disponibilizando sementes para a reabilitação de habitats e a reintrodução de espécies ou reforço das suas populações. Constitui ainda uma fonte de material de origem e qualidade controladas para investigação científica.

O Banco de Sementes A.L. Belo Correia foi inaugurado em 2001 e é o maior e mais antigo banco de sementes de espécies autóctones em Portugal continental, conservando em março de 2015, 3700 amostras de sementes, pertencentes a 1130 espécies. Nesta coleção está já representado mais de 1/3 da flora e 57% das espécies protegidas do continente português. Destacam-se ainda cerca de 220 espécies da região submersa pela barragem de Alqueva e 250 espécies de plantas do Jardim Botânico.

O banco de sementes aplica normas internacionais na recolha e conservação de sementes de forma a maximizar a qualidade, a longevidade e a diversidade genética das sementes conservadas. As sementes são conservadas a humidade e temperatura baixas. Nestas condições, milhares de sementes de uma só espécie podem manter-se vivas durante dezenas ou centenas de anos. Nos últimos anos, o Banco de Sementes deu prioridade à conservação de espécies ameaçadas contribuindo assim para o cumprimento em Portugal da meta 8 da Estratégia Global para a Conservação das Plantas (http://www.cbd.int/gspc/targets.shtml), que recomenda a conservação de 75% das espécies ameaçadas no país de origem até 2020. Como parte dessa estratégia, foi estabelecido um Protocolo de colaboração com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), em 2008, ao abrigo do qual é feito o planeamento e a conservação das espécies ameaçadas da Flora Portuguesa. Desta forma, afirma-se como instrumento fundamental a nível nacional para o cumprimento das metas de conservação europeias e internacionais.

É o único membro nacional do ENSCONET-The European Native Seed Conservation Network (http://ensconet.maich.gr/), consórcio europeu que reúne 30 bancos de sementes de espécies autóctones. Entre 2014 e 2016 decorreu a colaboração no projeto internacional “Adapting agriculture to climate change: collecting, protecting and preparing crop wild relatives”, liderado pelo Global Crop Diversity Trust e pelo Millennium Seed Bank. Em parceria com outros bancos de sementes portugueses, foram recolhidas sementes de 29 espécies aparentadas de espécies cultivadas (“crop wild relatives”) em Portugal. Estas sementes foram conservadas em Portugal e no Millennium Seed Bank e estarão disponíveis para programas de melhoramento e obtenção de novas cultivares num cenário de alterações climáticas.

A equipa é constituída por Manuela Sim-Sim (Curadora) e por Domitila Brocas (Técnica). Joana Brehm coordena o projeto “Crop Wild Relatives”.

Curador: 
Tipo de coleção: 
Coleção de História Natural
Unidade: