Memória da Politécnica: Quatro Séculos de Educação, Ciência e Cultura

O Túmulo de Fernão Telles de Menezes (1530–1605), depois de ter sido redescoberto, volta a ser exposto em local próximo do original, abrindo a exposição Memória da Politécnica – Quatro séculos de Educação, Ciência e Cultura.

Memória da Politécnica

Quando: 
17 de Fevereiro de 2012 a 31 de Dezembro de 2018
Onde: 

Galeria

Desde o início do século XVII que o local conhecido como “Politécnica”, onde hoje se encontra o Museu Nacional de História Natural e da Ciência (Universidade de Lisboa), alberga ininterruptamente instituições de ensino, ciência e cultura.

A exposição Memória da Politécnica: Quatro Séculos de Educação, Ciência e Cultura pretende contar a história deste local, que ao longo do tempo foi um pólo de intensas trocas de conhecimentos, artefactos e espécimes entre o Oriente e o Ocidente e também de cruzamento de culturas. Por aqui passaram, como alunos e como professores, as mais importantes personalidades da cultura portuguesa, como o Padre António Vieira e São João de Brito.

Na exposição estarão expostas peças de grande interesse histórico como:

  • o magnífico túmulo seiscentista de Fernão Telles de Menezes, fundador do Noviciado da Cotovia, que é pela primeira vez exposto ao público;

  • os quadros setecentistas “Panorama da Cidade de Lisboa antes do terramoto de 1755” e “Visão perspética de Goa”, atualmente no Museu Nacional de Arte Antiga, expostos no local para onde foram concebidos;

  • um raro frontal de altar sino-português do séc. XVIII, bem como relicários, esculturas, paramentaria e missais dos séculos XVII e XVIII, raramente expostos;

  • objetos do Real Museu e Jardim Botânico da Ajuda, incluindo o quadro a óleo “Ciríaco” (1787);

  • um raro telescópio de mesa setecentista, da autoria do inglês Jesse Ramsden;

  • espécimes do Real Museu das Necessidades, organizado por D. Pedro V;

  • uma carta manuscrita de Charles Darwin ao naturalista português Arruda Furtado, única em Portugal;

  • objetos queimados pelo grande incêndio da Faculdade de Ciências, em 1978;
  • inúmeras plantas, desenhos, fotografias e manuscritos científicos originais, nunca antes expostos.
Exposição de longa duração