Curso de taxidermia e valorização das coleções de história natural em Maputo

No âmbito do acordo existente com o Museu de História Natural de Maputo, três colaboradores do MUHNAC estiveram em Moçambique, a dar um curso de formação em “Taxidermia e valorização das coleções de história natural”.

No âmbito do acordo existente entre o Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MUHNAC) da Universidade de Lisboa e o Museu de História Natural (MHN) de Maputo, 3 colaboradores do MUHNAC, Alexandra Cartaxana (Curadora da Coleção Crustáceos), Cristiane Bastos-Silveira (Curadora da Coleção de Mamíferos) e Pedro Andrade (Taxidermista) estiveram, em Moçambique, a dar um curso de formação em “Taxidermia e valorização das coleções de história natural”, entre 11 e 22 de maio.

O curso contou com a participação de 26 pessoas, da Faculdade de Ciências, da Faculdade de Veterinária e Centro de Biotecnologia da Universidade Eduardo Mondlane, da Estação de Biologia Marinha da Inhaca, do Museu das Pescas, do Aeroporto de Maputo, e ainda dos curadores e taxidermistas do Museu de Maputo.

Durante o curso foram abordados vários assuntos, desde a importância das coleções de história natural, à política e gestão das coleções até ao recurso a bases de dados para a gestão e divulgação da informação associada ao acervo dos Museus.

Os participantes receberam ainda formação em taxidermia de pequenos mamíferos e aves para incorporação nas coleções científicas do Museu.

Procedeu-se ainda a uma avaliação das coleções zoológicas existentes no Museu de Maputo. O resultado desta avaliação serviu de base para o delinear de uma estratégia de recuperação, conservação e incorporação de novos exemplares nas coleções deste Museu.

Esta iniciativa teve como resultado final a elaboração de um relatório onde se analisaram os resultados obtidos com a formação e ainda uma avaliação das coleções e uma proposta de recuperação do espólio do Museu de História Natural de Maputo.