E se fossemos jantar e cear na Lisboa moderna (séc. XV - XVIII)?

Out
18
Out/18 17:30 - Out/18 18:30
Caleidoscópio | Campo Grande

60 Minutos de Ciência com David Felismino

Quando: 
Quarta, 18 Outubro, 2017 -
17:30 a 18:30
Onde: 
Caleidoscópio | Campo Grande

Necessidade fisiológica e vital da existência humana, comer foi e será sempre um ato de sociabilização e de cultura.

Agricultura e abastecimento. Carência e abundância. Codificação hierárquica e social. Ritualidade de gestos e comportamentos. Hospitalidade e liberalidade. Falar de alimentação envolve, em todas as épocas e geografias, falar de práticas, hábitos, gostos e condutas alimentares, numa ampla abrangência económica, social, cultural, científica, artística, política e simbólica.

Numa sociedade frágil como a dos nossos antepassados, em que a fronteira entre fome e abundância era ténue e o espectro da fome permanentemente assomava, a alimentação, espaço simbólico e material de limitações, interditos, crenças e desregramentos, foi sempre um critério de diferenciação social e de distinção simbólica.

Numa breve incursão aos séculos XV a XVIII, viajemos e sentemo-nos à mesa dos lisboetas para conhecer o seu quotidiano alimentar, experienciando os seus ritmos, hábitos, escolhas e predileções culinárias e alimentares.

Vídeo completo

Reportagem SABER VIVER - Lisboa TV
Entrevista com David Felismino

Nota biográfica:

Historiador e Museólogo, é Assistente de Investigação do Centro de Humanidades (NOVA FCSH). Licenciado em História e pós-graduado em História Moderna e Direito Patrimonial, encontra-se a preparar uma dissertação de Doutoramento em História Moderna, subordinada ao tema das ucharias e mesa régia no século XVIII. Os seus principais domínios científicos e interesses versam sobre história do quotidiano, dos consumos, da cultura e da ciência na Época Moderna, com particular enfoque para a cultura material. Trabalhou na Casa de Fronteira e Alorna, no Museu Geológico, no Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa e é, presentemente, Bolseiro de Gestão de Ciência e Tecnologia no Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, dedicando-se ao projeto de instalação do Museu da Saúde.

 

2ª Edição do Ciclo de conversas "60 Minutos de Ciência"

Num formato informal e descontraído, 60 minutos de Ciência pretende ser um fórum de discussão entre especialistas e cidadãos sobre temas atuais de Ciência. Com a duração de uma hora, as suas sessões decorrem nas terceiras quintas-feiras do mês, pelas 17h30, com lugar no MUHNAC-ULisboa e no Edifício Caleidoscópio, no Jardim do Campo Grande em meses alternados.

Este ciclo é uma iniciativa do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa (MUHNAC-ULisboa), do Comité UNESCO Matemática do Planeta Terra (MPT-UNESCO) e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.