Microcomputador ZX Spectrum Sinclair

O lançamento, em abril de 1982, do microcomputador ZX Spectrum provoca uma revolução nos computadores pessoais, invadindo rapidamente a casa de muitos adolescentes.

O lançamento, em abril de 1982, do microcomputador ZX Spectrum provoca uma revolução nos computadores pessoais, invadindo rapidamente a casa de muitos adolescentes.

O modelo ZX Spectrum Sinclair 48K – objeto do mês de abril no MUHNAC – tornou-se num dos mais célebres microcomputadores de videojogos desenvolvidos pelo britânico Sir Clive Sinclair (n. 1940). Distribuído pela Sinclair Research, sucessora da primeira empresa do fundador, a Sinclair Radionics, criada em 1961, foi líder de vendas em Inglaterra, onde ascendeu de forma rápida a símbolo de identidade cultural nacional. Em Portugal, a distribuição do ZX Spectrum teve início com a empresa Triudus.

O ZX Spectrum tinha um design ainda hoje considerado bastante atrativo e um tamanho minimalista que foi precursor. Assentava num conceito de maior acessibilidade e fácil deslocação, aliados a preços reduzidos. O seu funcionamento, com algumas limitações no carregamento dos jogos, dependia apenas da conexão a um televisor e de alguns acessórios que, inicialmente, incluíam um leitor de cassetes de fita magnética mas que, nos anos seguintes, seriam aumentados e acoplados de forma a melhorar a sua capacidade operativa. Era utilizado sobretudo para videojogos, mas muitos usaram-no também para se iniciarem na programação BASIC.

Para os muitos fãs desta tipologia de retrogaming e hardware, foi lançado o ano passado o modelo ZX Spectrum Vega, com a chancela de Sir Clive Sinclair. Com ele renasce a cultura do ZX Spectrum, adormecida desde os anos 1990.