Octante inglês do séc. XVIII (1780)

O nome octante deriva do latim octans e significa a oitava parte de um círculo.

O nome octante deriva do latim octans e significa a oitava parte de um círculo. O arco do instrumento é um oitavo de um círculo e serve para medir ângulos no céu ou em terra.

A cidade de Londres e a Royal Society desempenharam um papel central no desenvolvimento de instrumentos científicos, no séc. XVIII e é ao inglês John Hadley que é dado o maior crédito para a invenção do octante, por volta de 1730.

Em 1780, quer o sextante, quer o octante, tinham já substituído todos os instrumentos anteriores, usados em navegação, para medir ângulos no céu.

Um octante tem metade do tamanho de um quadrante, sem perda de precisão e sem aumento de erro na medição. Pode ser usado de noite e de dia, permitindo apontar também para estrelas menos brilhantes.

De facto, na segunda metade do séc. XVIII, o instrumento torna-se muito popular: era produzido em larga escala, por vários construtores de Londres que usavam um modelo padronizado, tornando-o mais barato que os sextantes. 

O objeto que aqui se apresenta, é atribuído a Henry Gregory e Gabriel Wright, também conhecidos pela produção de globos.

A sua elevada precisão, deve-se, sobretudo, a uma maior facilidade no alinhamento da posição da estrela com o horizonte, num barco em movimento. O erro de observação torna-se menos dependente do observador, porque é possível ver os dois objetos, sob alinhamento, ao mesmo tempo.

O instrumento exposto foi utilizado em trabalhos de campo na Escola Politécnica, até 1860.

English Version