O silício na crosta e no manto terrestre

Abr
18
Abr/18 17:30
Sala Vandelli | Museu Nacional de História Natural e da Ciência

60 Minutos de Ciência com A. M. Galopim de Carvalho 

Quando: 
Quinta, 18 Abril, 2019 - 17:30
Onde: 
Sala Vandelli | Museu Nacional de História Natural e da Ciência

A próxima sessão do 60 Minutos de Ciência cruza duas celebrações globais, ambas com um objetivo comum: a sustentabilidade do nosso planeta. 2019 é o Ano Internacional da Tabela Periódica e dos Elementos Químicos. Por sua vez, o mês de Abril é um mês voltado para o planeta Terra e a sua preservação. Dinamizada pelo reconhecido e tão acarinhado Prof. Galopim de Carvalho, a temática a discutir será centrada no elemento químico número 14 da tabela periódica: o silício. Do latim “silex”, com o significado de pedra dura, descoberto em 1824, pelo sueco Jöns Jacob Berzelius, é um dos elementos químicos mais abundantes na crosta e no manto terrestres. Está presente na imensa maioria das rochas destas duas geosferas sob a forma de quartzo de muitos silicatos, com destaque para os feldspatos, micas, piroxenas, anfíbolas e olivinas. A sua aplicação passa pela produção do vidro e de equipamentos eletrónicos, entre outros.

Nota biográfica sobre o orador

A. M. Galopim de Carvalho nasceu em Évora, em 1931. É doutorado em Sedimentologia, pela Universidade de Paris (1964), e em Geologia, pela Universidade de Lisboa (1968), tendo lecionado na Faculdade de Ciências desta Universidade de 1961 a 2001, ano em que se jubilou como professor catedrático. Lecionou, igualmente, em Geografia, na Faculdade de Letras da mesma Universidade, de 1965 a 1981.

Dirigiu o Museu Mineralógico e Geológico da Faculdade de Ciências de Lisboa, de 1983 a 1992, e o Museu Nacional de História Natural (MUHNAC-ULisboa), de 1992 a 2003, onde foi o mentor e responsável científico de sucessivos projetos de investigação nas áreas da Geologia Marinha e da Paleontologia dos Dinossáurios. Atualmente continua a trabalhar na divulgação, salvaguarda e valorização do património geológico nacional.

É autor de vasta bibliografia científica, de divulgação e de ficção, com mais de 20 livros publicados e centenas de artigos em revistas científicas e jornais.

Foi o responsável científico por mais de uma dezena de exposições sobre Dinossáurios e outras temáticas em Lisboa, Porto, Cantanhede, Sintra e Macau.

Iniciou em Portugal, em 1989, no MUHNAC-ULisboa, a “Feira Internacional de Minerais, Gemas e Fósseis”, com 31 edições concluídas e hoje alargada, regularmente, ao Porto e a Coimbra e, ocasionalmente, a outras cidades do país.

É patrono do Agrupamento de Jardins-de-Infância e Escolas Professor Galopim de Carvalho, em Queluz, e da Escola Básica do Bacelo, em Évora.

Concebeu e participou na concretização do Museu do Quartzo, em Viseu, oficialmente designado por Centro de Interpretação Galopim de Carvalho.

 

4ª Edição do Ciclo de conversas "60 Minutos de Ciência"

Num formato informal e descontraído, 60 minutos de Ciência pretende ser um fórum de discussão entre especialistas e cidadãos sobre temas atuais de Ciência. Com a duração de uma hora, as suas sessões decorrem nas terceiras quintas-feiras do mês, pelas 17h30, com lugar no MUHNAC-ULisboa e no Edifício Caleidoscópio, no Jardim do Campo Grande em meses alternados.
Este ciclo é uma iniciativa do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa (MUHNAC-ULisboa), do Comité UNESCO Matemática do Planeta Terra (MPT-UNESCO) e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FC - ULisboa).