Membros do CPMIN fazem recolha de minerais para coleções do MUHNAC

Clube Português de Mineralogia visita Couto Mineiro de Moncorvo

 

Grupo no Cabeço da Mua

O Clube Português de Mineralogia (CPMIN) visitou, no dia 20 de julho, o Couto Mineiro de Moncorvo, com a participação dos membros Fernando Barriga, Liliana Póvoas, César Lopes, Luís Vendeirinho, Simão Vendeirinho e Alberto Alves, bem como de alguns convidados. Foram muitíssimo bem recebidos em Torre de Moncorvo, pelos responsáveis do Município, que muito ajudaram a tornar a visita um sucesso. A empresa MTI-Ferro de Moncorvo S.A. autorizou a visita e providenciou bom acolhimento.
 
A importante jazida de minérios de ferro na Serra do Reboredo, cujo ciclo remonta à Idade do Ferro, conheceu o auge da sua exploração entre a década de cinquenta do século passado e finais dos anos oitenta, e a sua reabertura está a ser equacionada.
 
Na manhã da visita os participantes estiveram nos Cabeços da Carvalhosa e da Mua, onde o geólogo Higino Tavares (com algumas achegas de Fernando Barriga) interpretou as características dos locais e reconstituiu o cenário da laboração mineira. 
 
Apreciou-se a imponência da jazida, com reservas (demonstradas e indicadas) calculadas em cerca de 550 milhões de toneladas (teor médio ~37% de ferro) e cerca de 1000 milhões de toneladas de recursos inferidos adicionais. Foi possível colher exemplares de minério (especularite e magnetite) e de fosfatos (incluindo scorzalite, strengite, variscite e wavellite) nomeadamente para as coleções do Museu Nacional de História Natural e da Ciência.
 
À tarde, teve lugar a receção no Museu do Ferro e da Região de Moncorvo, vocacionado para a divulgação do património arqueológico e industrial da região, com especial enfoque nas atividades relacionadas com a exploração do ferro. O Diretor do Museu, Nelson Rebanda, fez uma exposição detalhada nos domínios histórico, social e geográfico, com a mineração como pano de fundo.