Poética das Superfícies e Marcas do Tempo - Parte II

Exposição de escultura de Helena Lapas

Quando: 
29 de Novembro de 2019 a 19 de Janeiro de 2020
Onde: 

Sala dos Minerais

“A profundidade temporal das superfícies

Em contraponto às peles sensíveis expostas simultaneamente na Galeria Ratton, as obras expostas na Sala dos Minerais do Museu Nacional de História Natural e da Ciência assumem uma dimensão objectual. Nas peças na Sala dos Minerais temos não uma pura superfície, mas presenças no espaço enquanto superfície. À leveza e tensão bidimensional do primeiro conjunto de obras, contrapõe-se agora uma sugestão de dureza, peso e massa. Em Helena Lapas a bidimensionalidade sempre se assumiu como 3ª dimensão, como objecto físico, mesmo quando se esticava em esforço de bidimensionalidade, porque as suas superfícies sempre foram assumidas como películas ou peles. Estas peles são um dos materiais privilegiados e têm implicações processuais. Antes de tudo, porque interferem directamente com uma superfície prévia sobre a qual se inscrevem, porque concorrem com ela. Não são uma linha ou mancha, uma inscrição sobre a superfície, porque são também a materialidade de uma superfície-pele que se lança sobre outra superfície que ao a receber se revela também como pele. Na sua obra é difícil ter uma superfície primeira, sobre a qual tudo o resto se sobrepõe.”

 

Fernando Rosa Dias

 Setembro de 2019

 

 

Exposição de Arte e Ciência