O Castanheiro e a doença da tinta

Iniciamos 2020, declarado Ano Internacional da Fitossanidade pela UNESCO, com destaque para o castanheiro europeu.

O castanheiro europeu (Castanea sativa Mill.) pertence à família botânica das Fagáceas, à qual pertencem os carvalhos.

Pode crescer até aos 25/30 metros de altura. As folhas, que podem ter 10 a 25 cm de comprimento, são caducas, têm a forma de uma lança e a sua margem é serrada. As flores masculinas, muito numerosas, agrupam-se em amentilhos (cachos eretos) e as femininas, geralmente em grupos de 3, estão envolvidas por uma cúpula que dá origem ao ouriço que contém as castanhas.

Considera-se que o castanheiro terá sido introduzido na maior parte da sua área de distribuição atual e que a sua origem esteja no Mediterrâneo oriental. Em Portugal existe essencialmente na metade norte do território e em solos ligeiramente ácidos, muitas vezes associado ao carvalho-negral ou ao carvalho-roble.

Os povoamentos monoespecíficos de castanheiros designam-se soutos quando o objetivo é a produção de castanhas e castinçais quando esse objetivo é a produção de madeira.

Segundo os dados do INE, Portugal produziu ca. de 35000 toneladas de castanha em 2018.

Uma das maiores ameaças para o castanheiro em Portugal e na Europa é a doença da tinta. Este nome deve-se à cor negra do líquido (semelhante a tinta), que as árvores exsudam. O ataque inicia-se nas raízes e estende-se às partes aéreas das árvores. A doença é causada por dois ‘fungos’ pertencentes à classe oomicetas, à família Peronosporaceae e ao género Phytophthora (P. cinnamomi P. cambivora).

Estes ‘fungos’, detetados em Portugal na primeira metade do séc. XIX, afetam a produção do fruto, levando a uma baixa produtividade dos soutos portugueses. Do ponto de vista sanitário, o controle desta doença é difícil uma vez que estes organismos vivem no solo e o uso de fungicidas e outros químicos tem pouca eficácia.

O controlo da doença da tinta passa pelo melhoramento genético, a produção de híbridos com recurso a variedades resistentes à doença e por algumas técnicas culturais.

 

English Version