Plantas e Povos | REFLETIR

As coleções de objetos naturais nos museus constituem um importante repositório de informação sobre os usos das plantas pelos diferentes povos do planeta.

Em muitos casos essa informação é insubstituível, por se ter perdido o conhecimento popular original, em resultado do desaparecimento ou deslocação de comunidades inteiras ou da destruição dos recursos vegetais.

Ao desaparecimento de povos e culturas devido à guerra, à fome ou à falta de água, soma-se a destruição de habitats devida à construção desenfreada e desordenada e à exploração desmedida de recursos, muito acima da capacidade de regeneração natural dos ecossistemas.

A conservação da biodiversidade, posta em risco pela destruição de florestas e extinção de espécies a um ritmo cada vez mais acelerado é ainda agravada pela introdução de espécies exóticas e a alteração dos sistemas agrícolas tradicionais para monoculturas intensivas com recurso a fertilizantes químicos.

Hoje são conhecidas as principais ameaças à conservação da diversidade vegetal e o mundo esforça-se por incluir nas políticas globais medidas que preservem o ambiente e a biodiversidade.

A maioria das possíveis soluções para travar estas ameaças está na mão dos governos que, também pressionados pelos cidadãos, podem controlar as lógicas dominadas pelo mercado e pelos grandes interesses económicos, de forma a implementar e fazer cumprir leis ambientais.

As coleções de objetos como os que se encontram nesta exposição, junto com os espécimes de herbário e a informação de arquivo associada, preservam simultaneamente informação sobre o mundo natural e sobre os grupos culturais que o transformaram, podendo contribuir para promover condições de equidade política e social e que balanceiem interesses económicos e desenvolvimento, com vista à sustentabilidade.

 

VOLTAR À PÁGINA INICIAL