Teodolitos Salmoiraghi de Gago Coutinho em artigo na revista internacional “Nuncius”

Trabalho de investigação sobre instrumentos das coleções do MUHNAC

Gago Coutinho a utilizar o instrumento Salmoiraghi em São Tomé e Príncipe, 1916 (coleções IICT/MUHNAC).

Um trabalho de investigação sobre os teodolitos Salmoiraghi de Gago Coutinho, da autoria Manuel Xavier, investigador e doutorando Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e membro do Centro Interuniversitário da Histórias das Ciências e da Tecnologia, resultou num artigo publicado na revista internacional de história da ciência e cultura material, Nuncius.

Estes teodolitos, que integram as coleções do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa, são instrumentos utilizados nas missões geográficas, chefiadas por Gago Coutinho, às ex-colónias portuguesas, no primeiro quartel do século XX. Foram encomendados pelo Ministério das Colónias, por sugestão do próprio, ao engenheiro, fabricante e diplomata italiano de Milão Angelo Salmoiraghi.

São instrumentos com interesse histórico particularmente relevante por duas razões:

» por serem instrumentos científicos com uma quantidade substancial de documentação associada (relatórios de missão, cadernos de observações, diários privados, correspondência trocada, etc.),

» por terem sido instrumentos adaptados, mas fracassados, na medida em que ficaram aquém das expetativas de produção científica esperadas.

A investigação conduzida por Manuel Xavier incidiu sobre duas vertentes:

» o contexto de prática científica no mato africano, por parte de Gago Coutinho e sua equipa (de que fazia parte, por exemplo, Sacadura Cabral), com os novos instrumentos Salmoiraghi;

» a disputa de autoridade profissional e científica entre os dois protagonistas desta história: o utilizador do instrumento Gago Coutinho e o fabricante do instrumento Angelo Salmoiraghi.

Poderá consultar o artigo no site da revista e ficar a par as conclusões desta investigação.

O teodolito geodósio esteve em exposição no átrio do Museu, já tendo sido Objeto do Mês.