Equipa liderada por curadora do MUHNAC identifica novas espécies de osgas

Descobertas novas espécies de osgas em Angola

Lygodactylus nyaneka- live photo CAS 263531

Mariana Marques, Curadora Assistente da Coleção de Herpetologia do Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Lisboa (MUHNAC) e estudante de Doutoramento do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da U.Porto (CIBIO-InBIO), liderou a equipa de investigação internacional responsável pela identificação de novas espécies de osgas.

As Lygodactylus são um grupo de pequenas osgas, diurnas e maioritariamente arborícolas, ou rupícolas, comumente apelidadas de Osgas-Anãs, dado o seu pequeno tamanho e cabeça pouco proeminente.

Existem mais de 60 espécies reconhecidas de Osgas-Anãs, maioritariamente restritas à África Subsaariana e Madagáscar.

Antes deste estudo ser publicado, eram relatadas para Angola cerca de três espécies, sendo elas: a Osga-anã-de-Angola (L. angolensis Bocage, 1896), a Osga-anã-de-Bradfieldi (L. bradfieldi Hewitt, 1932), a Osga-anã-do-Cabo (L. capensis (Smith, 1849)), - e  duas com potencial de ocorrência no país: sendo a Osga-anã-do-Okavango (L. chobiensis FitzSimons, 1932) e a Osga-anã-de-Lawrence (L. lawrencei Hewitt, 1926).

Para além da descrição das novas espécies, este estudo teve como objetivo esclarecer a identidade taxonómica das espécies de Lygodactylus ocorrentes no país.

Esta investigação permitiu a descrição das novas espécies e a revisão da identidade taxonómica das populações de Lygodactylus em Angola, que resultou na validação de cinco espécies para o país.

A equipa liderada por Mariana Marques é composta por investigadores portugueses, angolanos e norte-americanos e o estudo encontra-se publicado na revista Zootaxa em https://mapress.com/j/zt/article/view/zootaxa.4853.3.1    

Este trabalho foi realizado em estreita colaboração com o Instituto da Biodiversidade e Áreas de Conservação (INBAC), do Ministério do Ambiente de Angola.