Atlas de Botanica

O Objeto do Mês de Janeiro de 2021 é o Atlas de Botanica, de António Xavier Pereira Coutinho (1851-1939)

Iniciamos 2021 com destaque para o Atlas de Botanica, de António Xavier Pereira Coutinho (1851-1939), aluno e professor da EPL (Cadeira de Botânica, 1903-1911).

O Atlas de Botanica foi publicado em 1898 a pedido da Direcção-Geral de Instrução Pública, com a pretensão de ser uma criteriosa ferramenta pedagógica, no então ensino liceal do Ministério do Reino. Foi reeditado em 1906 pela Companhia Nacional Editora.

Com o objetivo de ser uma obra muito elucidativa e didática, a ilustração (estampa) exerce um papel preponderante. As 24 vibrantes estampas coloridas exibem mais de 4 centenas de exemplos que refletem a biodiversidade: raízes, caules, folhas, ordens, famílias, espécies e géneros botânicos, algas e fungos, células e tecidos, entre outros.

Estampa VII – Fructo (color.) – Contém a identificação de 29 exemplos diversos de frutos e 5 de infrutescências. E refere também os respetivos nomes comuns.   

Estampa XII - Famílias Botânicas (color.) – Contém a identificação de 4 exemplos da Família das Crucíferas e 4 da Família das Leguminosas.

De notar que nalguns destes exemplos, o autor apresenta ainda outros órgãos vegetais da mesma (fruto ou flor).

Outros trabalhos destinados a alunos das escolas primárias e dos liceus: Curso elementar de Botânica, Elementos de Botânica, Rudimentos de Agricultura e Rudimentos de Botânica e de Agricultura.

Ao falar sobre os seus livros, o seu colega Ruy Telles Palhinha refere (1937): “…são…excepcionalmente claros, atraentes, vividos, porque os viveu ensinando seus filhos, cujas lições claras, ditas em voz serena e pausada, encantavam pela fácil aquisição das ideias transmitidas, a quem atentamente as ouvisse…”.

Os resultados das suas investigações deram origem a inúmeras publicações. Produziu inúmeros estudos de fito-sistemática de espécies nacionais e africanas. Participou na direção de revistas especializadas em agronomia e botânica. Colaborou em dicionários especializados, em artigos relativos a exposições internacionais agrícolas e vinícolas, nomeadamente em estudos sobre o combate à praga de filoxera e outras doenças das vinhas, que atingiram Portugal em finais do séc. XIX e princípios do séc. XX.

O Atlas de Botanica foi uma doação do Engº Armando Viana da Rocha.

 

English version