O IMPULSO FOTOGRÁFICO:(DES)ARRUMAR O ARQUIVO COLONIAL

Exposição temporária
21 Dez 2022 - 31 Maio 2023
10h00 às 17h00

“O impulso fotográfico” alude à expansão da fotografia pelo mundo, e consequentemente à sua apropriação considerada fidedigna e realista.

Nesta exposição, a expansão da fotografia associa-se à expansão científica colonial, e a uma certa vocação colonial da fotografia sob a forma de uma tecnologia usada pela ciência para medir, classificar e arquivar documentos de modo potencialmente infinito, reprodutível e difundido de modo massificado.

Partindo desta obsessão pela medição e classificação, mostra-se os modos como territórios e corpos africanos foram medidos e apropriados durante as missões científicas de geodesia, geografia e antropologia e como se difundiram as narrativas da ciência colonial. Mas também se mostra como resistiram, através de outras histórias (ficcionais ou não), desvendadas e criadas pelo sentido crítico da curadoria participativa de artistas e investigadores(as) e ativistas.

A exposição é o resultado destes encontros, dúvidas e questionamentos da equipa multidisciplinar que se envolveu em diferentes fases do projeto, desde a conservação e restauro à digitalização de fotografias e filmes, desde a investigação teórica à propostas artísticas, até à própria construção museográfica.

Qual o significado destas coleções de fotografias e objetos, no presente, para as diferentes comunidades?  Que marcas deixaram enraizadas na sociedade?

Esta é uma exposição concebida para questionar e ser questionada.

 

Nota: Exposição criada pelo projeto O Impulso Fotográfico: Medindo as Colónias e os Corpos Colonizados, O arquivo fotográfico e fílmico das missões portuguesas de geografia e antropologia”, financiado pela FCT (PTDC/COM-OUT/29608/2017). Este projeto está sedeado no Instituto de Comunicação da Nova, da NOVA Faculdade Ciências Sociais e Humanas, e tem como parceiros o Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa e a NOVA.ID. da Faculdade de Ciências e Tecnologia.

Inauguração: 20 dezembro, 18h00 às 20h00

 

PROGRAMA COMPLEMENTAR

VISITAS TEMÁTICAS

21 janeiro, 14h30 às 15h00
Desvendar Mário Domingues e o Movimento de Emancipação Negra em Portugal, por José Luís Garcia

 

VISITAS ORIENTADAS REGULARES

Último domingo de cada mês - 11h00 às 12h30
29 de janeiro, 26 de fevereiro, 26 de março, 23 de abril e 28 de maio
Mais informações aqui.
 

PERFORMANCES

21 janeiro | 15h30 às 16h00
Estado (anti) Manicomial, fragmentos, por Rita Cassia

Local

Sala A001 | Museu Nacional de História Natural e da Ciência
Quando
21 Dez 2022 - 31 Maio 2023
10h00 às 17h00